sexta-feira, 11 de março de 2011

Chá de Hamamelis


A planta que Hipócrates batizou de hamamelis consta hoje da lista de ingredientes de vários produtos cosméticos e de higiene pessoal. É aconselhada no tratamento de varizes e problemas circulatórios, e sempre que precisa de descansar as pernas.

Hamamelis, L., ou Hamamélia é uma árvore de folha caduca da família Hamamelidaceae que pode atingir os 5 metros de altura. As suas folhas, ovais e denteadas, são inodoras mas de gosto amargo. Nativa do Canadá e do Leste dos EUA é hoje em dia cultivada também na Europa. Em fitoterapia, são utilizadas as folhas e a casca. (Fonte: Wikipedia)

Com folhas caducas, ovais e denteadas, inodoras, mas com um sabor amargo, possui normalmente um tronco curto, embora possa atingir os cinco metros de altura. As suas distintas flores amarelas florescem no Inverno e os frutos são cápsulas lenhosas, contendo duas a quatro sementes, que são mecanicamente dispersadas: as cápsulas, quando maduras, explodem, literalmente, projectando as sementes a uma distância média de cerca de 5,5 metros da árvore. De sabor semelhante ao do pistáscio, estas sementes foram durante muito tempo consumidas pelos índios americanos.

O fato de as flores florescerem na mesma altura em que os frutos, originados na época de reprodução anterior, amadurecem, explica por que batizou Hipócrates esta árvore de Hamamelis, palavra cujas raízes gregas significam “fruto” e “simultaneamente”.

Em inglês, witch hazel, parece estar relacionado com a crença americana de que os ramos flexíveis desta planta conseguem localizar cursos de água subterrâneos.

Tradicionalmente, a Hamamélia era muito utilizada como planta medicinal pelos nativos americanos, devido às suas propiedades adstringentes. Utilizava-se a casca da árvore para tratar úlceras, chagas, feridas e tumores, enquanto que o vapor, originado pelos galhos aquecidos em pedras quentes, constituía um veículo de purificação por sudação em rituais religiosos e as decoações dos troncos eram empregues topicamente para manter a flexibilidade muscular.

O chá da planta era ainda usado no tratamento de disenterias, constipações, tosse, para purificar o sangue e reduzir o sagramento menstrual excessivo; externamente, para tratar cortes, picadas e queimaduras na pele, inflamações oculares e hemorróidas.

No século dezenove, o produto da destilação dos ramos da planta tornou-se vulgarmente conhecido como água-de-Hamamélis, pelo americano Theron T. Pond, proprietário de uma destilaria em Connecticut. A água-de-Hamamélis viria a ser um dos primeiros extractos aquosos de plantas patenteados - ainda hoje as destilarias de Connecticut são responsáveis pela maioria da produção americana de destilado de Hamamélis.

Hamamelis virginiana é hoje considerada pelos herbalistas uma das melhores plantas com ação anti-hemorrágica, de aplicação vantajosa em casos de insuficiência venal. As infusões e destilações das folhas e da casca são ricas em flavonóides (compostos com acção antiflamatória e antioxidante, que promovem o aumento da resistência dos capilares) e taninos (substâncias corantes e emolientes, ricas em ferro, que atuam como antidiarréicos, antimicrobianos e cicatrizantes), entre eles o hamamelitanino e várias proantocianidinas, componentes apontados como responsáveis pelas propriedades adstringentes da planta.

A nível externo, a Hamamália é útil no tratamento de veias varicosas, problemas circulatórios, varizes, pernas cansadas, eczema, couperose, hemorróidas, inflamação ocular, infecções e sangramento das gengivas, desinfecção de feridas, picadas e cortes na pele, e queimaduras solares ligeiras.

A utilização interna não é tão comum; infusões e cápsulas são ingeridas no sentido de promover a reabsorção de edemas venosos, aliviando os sintomas de pernas pesadas, varizes e hemorroídas.
 
A hamamelis regulariza a circulação exercendo ação vasoconstritora periférica agindo como vasomotor. Tem sido utilizado em cosmético nas fórmulas de loções capilares e xampus.



Nomes Populares:

* Hamamélia,

* Hamamélide,

* Hamamélis

Propriedades
É adstringente, tônica, anticaspa, anti-seborrêico, descongestionante, anti-acnêico, refrescante e sedativa; atenua varizes, mantém sua cútis conservada, macia, sem manchas e lisa. Evita o ressecamento mantendo a pele hidratada e por isto é recomendado o seu uso no rosto, área dos olhos e boca. É empregada no tratamento de pele e cabelos oleosos.

Pode encontrar esta planta sob a forma de cremes, pomadas, folhas secas, tinturas, supositórios renais, loções, água destilada e cápsulas, sendo vulgarmente utilizada como ingrediente nas formúlas de fármacos de venda livre e no fabrico de vários produtos cosméticos e de higiene pessoal, incluíndo desodorizantes, géis de banho, champôs, loções pós-barba, sabonetes e cremes.

Recomenda-se uma dosagem de 2g por 150 ml de infusão (folhas secas) e de 2 ml a 4 ml de tintura, a aplicar três vezes ao dia; 5 a 10g em 250 ml de água para a aplicação de compressas, até 2 g diárias de extracto seco no caso das cápsulas e 200 mg de extrato por supositório. Quanto à água-de-hamamélis, pode ser aplicada sem restrições.

Apesar de esta planta ser utilizada há cerca de 200 anos como analgésico externo ligeiro, no alívio de irritações cutâneas e das mucosas, sem o registo de efeitos secundários mais graves que não vão além de uma esporádica sensibilidade cutânea, deve ser evitada durante a gravidez e lactação, uma vez que poucos estudos clínicos foram realizados.

A ingestão de elevadas concentrações de extractos de Hamamélis, em especial da casca, à semelhança do que ocorre com outras plantas ricas em taninos, poderá também não ser segura, provocando distúrbios gastrointestinais, desde náuseas e vomitos, a uma eventual hepatoxicidade, afetando o fígado e os rins. As dosagens recomendadas não devem, por isso, ser excedidas.
 
* É adstringente, anti-inflamatória, antioxidante, descongestionante, rejuvenescedora, tônica...
* Indicada para problemas na mucosa bucal, circulação, diarréia, hemorragia, hemorróida, inchaço nas pernas, problemas circulatórios, protege contra infecções, queimaduras
* Diminui a caspa, a seborréia, fortifica os cabelos, para a oleosidade do couro cabeludo
* Limpa pele de impurezas, irritações na pele pós barba, tira sinais de envelhecimento, reduz varizes.
 
 

COMBATER O INCHAÇO

Reduzir o inchaço é uma das formas de perder peso e ganhar saúde. Embora não seja um caus direta dos quilinhos a mais, estes chás que vão combater o inchaço, acabar com a retenção de líquidos, acelerar o metabolismo acabam potencializando os efeitos de uma dieta saudável e a prática de atividades físicas na difícil tarefa de emagrecer.

Vejamos a receita para diminuir o inchaço - Você vai precisar de:

CHÁ DE HAMAMÉLIS
* Duas colheres de chá com folhas secas de hamamélis
* Uma xícara de água

Modo de Preparo:
Leve ao fogo a água com as folhas de hamamélis e, ao levantar fervura, aguarde por cerca de dois minutos mais e só então apague o fogo. Espere até que fique morno e coe o chá.
Posologia

Beba uma xícara de chá por dia, claro, sem adoçar.

Cuidados

A ingestão pode provocar irritação gástrica e vômitos
Lactantes devem evitar o chá

FONTE

RECEITA NATURAL

2 comentários:

  1. problemas de varizes?
    veja nosso extrato de ervas, elimina vasos e varizes.
    veja depoimentos.
    visite nosso site www.varizestemcura.com

    ResponderExcluir
  2. nao tomei ainda o cha mas espero que de certo pois ja sofro alguns anos de varicose ,quando eu tiver a melhora voltarei a comentar 18/11/2013

    ResponderExcluir