terça-feira, 25 de novembro de 2008

Coma Banana pela Manhã


Comer banana pela manhã afina a cintura
Nova dieta angaria adeptos nos Estados Unidos e no Japão

Uma fruta tão popular entre os brasileiros está fazendo o maior sucesso entre pessoas do Japão e dos Estados Unidos que querem emagrecer.

A chamada Dieta da Banana Matinal, desenvolvida por Hitoshi Watanabe, um especialista em medicina preventiva em Tóquio, transformou a fruta em uma campeã de vendas no Japão no último verão. Por lá, nesta época do ano, normalmente são consumidas melancias e outras frutas apropriadas para sucos refrescantes.

Na tal dieta, o candidato a magro pode comer bananas à vontade e nada mais no café da manhã. É desejável que beba também água em temperatura ambiente.
Como o líquido dá saciedade, funciona como um coadjuvante para espantar a fome.

Nas refeições seguintes, pode-se comer de tudo, mas só até as 8 da noite. Após o jantar, nada de sobremesa. Já o lanchinho da tarde permite até uma guloseima. Os únicos itens proibidos são sorvetes, derivados do leite e álcool.

Vantagens
Segundo a nutricionista Vanderlí Marchiori, de São Paulo, esse tipo de dieta não traz prejuízos à saúde. “Isso porque não restringe nenhum grupo de nutriente”, justifica.

“Os carboidratos, tidos como vilões do emagrecimento, não ficam de fora, o que é ótimo. E a proibição de laticínios e álcool não chega a ser nenhum pecado. Afinal, esses produtos desencadeiam processos inflamatórios”, diz.

Se você evitava a banana porque ela carrega a fama de ser engordativa, pode rever sua lista de compras. “Essa fama é injusta”, alega Watanabe. “Na verdade, além de matar rapidamente a vontade de comer, ela contém enzimas que aceleram a digestão, favorecendo uma rápida perda de peso.”

“Sem contar que também tem fibras do tipo solúvel, aquelas que se ligam à água, formando uma espécie de gel que demora para sair do estômago”, completa Vanderlí.

De qualquer maneira, começar o dia comendo banana só traz benefícios. Afinal, as variedades da fruta são lotadas de potássio, mineral imprescindível para os músculos.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

O Café Nosso de Cada Dia

                  Vamos tomar um cafezinho? Antes, veja os prós e contras da bebida
Por Crib Tanaka • 12/04/2006

Hábito. Vício. Costume. Como classificar o café nosso de cada dia? Huummm... Bom, para começar, irresistível. Uma xícara da bebida quentinha faz parte da rotina de milhares de brasileiros. Seja em casa, no trabalho, na rua, o cafezinho é sempre uma boa pedida. Mas, mesmo assim, ele não está livre de polêmicas. Acusado e absolvido inúmeras vezes, o café, afinal, é amigo ou inimigo da nossa saúde?

Acorda!
Reconhecido antídoto contra o sono, o café tem seus benefícios e malefícios. Apesar de ser sempre associado à cafeína, que é responsável por apenas 2,5% do cafezinho, o grã verde é composto por outras substâncias como: potássio, magnésio, cálcio, sódio, ferro, manganês, rubídio, zinco, cobre e mais outros 36 elementos.

Mas, nâo tem jeito: deu aquele sono, a gente corre para tomar um golinho de café! Sabe o motivo? A cafeína pode amenizar os efeitos da adenosina, responsável pelo sono e ainda ajuda na concentração. Está explicado! Como também inibe o sistema límbico, que impulsiona o desejo de autogratificação, o café é apontado por alguns estudos como um bom aliado no combate à depressão e ao uso de drogas como a nicotina, o álcool e até as ilegais. Muitos estudos também associam a bebida à melhora na memória, uma vez que substâncias ou atitudes que reforçam a energia no corpo ajudam na memorização.

Saúde em pequenas doses
Há estudos científicos que sugerem que o consumo diário de até seis xícaras pode prevenir a diabetes tipo II, devido aos ácidos clorogênicos, seus metabólitos, ou a seus minerais. O câncer de cólon e próstata também podem ser afastados com o consumo da bebida e o coração também lucra nessa: o café contém antioxidantes que melhoram o sistema cardiovascular.

"No sistema nervoso central, ele é um excelente estimulante cerebral e deve ser usado na dose de duas xícaras ao dia", explica a nutróloga Emilia Veron. Mas, como tudo em excesso faz mal, ele não pode ser ingerido livremente. "A cafeína em excesso, acima de seis xícaras por dia, pode desencadear doenças cardíacas e aumentar a pressão arterial, quando associada ao estresse. Como ele tem efeito laxativo, deve ser evitado na diarreia, e em alguns portadores de síndrome do cólon irritável pode deflagrar a crise", explica Emilia. Ela completa dizendo que o café também estimula a contração da vesícula, mobilizando os cálculos biliares e, em pessoas com fragilidade gástrica, pode causar dor de estômago.

"A cafeína causa dor de cabeça em alguns, porém o efeito mais freqüente é a dor de cabeça quando se tira abruptamente o café. Pessoas que tomam muito café no trabalho ou no fim de semana podem ter a dor por falta da cafeína", diz Emilia. E, como a bebida aumenta a perda de cálcio, deve ser consumida moderadamente pelas mulheres em menopausa e por quem apresenta osteoporose.

O consumo no Brasil
"Os últimos números da Associação Brasileira da Indústria do Café, a Abic, estimam o consumo no Brasil em 2005 em 15,54 milhões de sacas, aumento de 5,4% sobre o ano anterior, o que representa um impressionante crescimento, motivado pelos bons fundamentos da economia e pela melhora da situação social do país", relata Miguel Barbosa do Rosário, editor do Coffee Business.

Para 2006, as indústrias estão otimistas e projetam um faturamento do setor da ordem de R$5,6 bilhões, 19,1% maior que em 2005 (R$4,7 bilhões). "Atualmente, o café corresponde a cerca de 2% da receita total das exportações brasileiras", revela Miguel, completando que até 2010 a Associação espera um consumo de 21 milhões de sacas, o que representaria um volume superior ao dos Estados Unidos hoje, que é o maior consumidor mundial.

Segundo Miguel Barbosa do Rosário, neste novo século, o café conseguiu, por alguma razão, ser associado aos aspectos positivos da globalização: facilidade de acesso à cultura, internet, criatividade. E, por ser uma bebida natural, feita a partir de uma planta com propriedades comprovadamente benéficas à saúde humana, não se choca com os ideais de saúde e beleza  a pós-modernidade.

Veja como o café é consumido em outros lugares do mundo
(Fonte: Paulo André Colucci Kawasaki, para Coffee Break)

* França: o produto, na maioria das vezes, é bebido juntamente com chicória.

* Áustria: pode-se beber o produto juntamente com figos secos, sendo que em Viena, a capital do país, é uma tradição o oferecimento de bolos e doces para acompanhar o café com chantilly.

* África e Oriente Médio: é comum acentuar o sabor do café com algumas especiarias, tais como canela e cardomomo, alho ou gengibre.

* Bélgica: o produto é servido com um pequeno pedaço de chocolate, colocado no interior da xícara, que será derretido quando entrar em contato com o café.

* Itália: o café expresso preto é servido em xícaras pequenas acompanhadas de tiras de limão.

* Grécia: o café é acompanhado por um copo de água gelada.

* Cuba: o café é bebido bastante forte e doce, e em um só gole.

* Sul da Índia: o café é misturado com açúcar e leite e servido com doces.

* Alemanha: é servido com leite condensado ou chantilly.

* Suíça: adiciona-se ao café um licor, o "kirsch".

* México: em muitos lugares, o café é oferecido gratuitamente e pode ser consumido em grandes quantidades. O chamado café americano, como é conhecido no México, é o mais consumido e é uma cópia do que se bebia até poucos anos nos Estados Unidos: aguado e com pouco sabor.

Erva-mate

    Erva-mate: Poderosa e estimulante, a bebida é sinônimo de prazer e tradição
Por Anna Mocellin • 24/08/2007

Ela é bastante utilizada no Sul do Brasil, onde costuma ser parte integrante da cultura local, em forma do bom e velho chimarrão. Ou no Centro-Oeste, onde é macerada e consumida em água fria ou gelada, no chamado tererê. Mas também é muito apreciada pelo Brasil afora, em forma de chás e bebidas refrescantes. Estamos falando da erva-mate, uma poderosa fonte de propriedades nutritivas e benéficas para a saúde, que ajuda até mesmo a limpar o organismo, combatendo os radicais livres que provocam o envelhecimento do corpo.

Paixão internacional

A erva-mate, cujo nome científico é Ilex Paraguariensis, é um arbusto proveniente das missões jesuíticas do Paraguai. Os jesuítas a enviaram para a Europa e, de lá, seu consumo como chá expandiu-se para os cinco continentes. Isso se deu por causa da comprovação científica de seus benefícios para a saúde - a erva é rica em vitaminas, A, B1, B2, B6, C e E, proteínas e minerais como cálcio, potássio e magnésio. Quando consumida em forma de chá, ganha propriedades diuréticas, digestivas e estimulantes. Também possui características antioxidantes, devido à presença de flavonóides.

De modo geral, os chás apresentam quantidades razoáveis de flavonóides, um grupo de substâncias naturais que possuem ação antioxidante

Na América do Sul, o Brasil não é o único país a se render ao sabor do mate: a bebida é consumida na Argentina, no Uruguai, no Paraguai e em algumas localidades do Chile e do Peru. Nos três primeiros países, o mate é bebida nacional, fazendo parte do cotidiano e da cultura de seus povos. A paixão é tanta que os argentinos são os maiores produtores de mate do mundo, com 174 mil hectares cultivados, exportando até para países do Oriente. A Síria costuma ser a maior consumidora do mate argentino, assim como o Líbano e a Arábia Saudita. Mas ele também faz parte da rotina de países como a Tailândia, onde se bebe em porcelana fina, e na China, onde é dissolvida em leite de soja.

Benefícios

Além de saborosa, a erva-mate é repleta de características nutricionais. Tem vitaminas e minerais, é uma das fontes mais ricas em ácidos fenólicos - que são um composto químico que aparece naturalmente em alimentos de origem vegetal e responsáveis pelo sabor amargo e adstringente - e ainda são capazes de combater os radicais livres, que prejudicam o bom funcionamento do organismo.

Pesquisas realizadas recentemente nos Estados Unidos mostraram que as propriedades antioxidantes da bebida exercem um efeito protetor direto nas células. Também revelaram que a erva-mate é capaz de inibir o processo de oxidação do mau colesterol (LDL), prevenindo doenças cardiovasculares, câncer e envelhecimento precoce.

Mas, segundo a nutricionista Camila Mendes de Abreu, esta não é uma característica exclusiva do mate. "De modo geral, os chás apresentam quantidades razoáveis de flavonóides, um grupo de substâncias naturais que possuem ação antioxidante. Há evidências de que, por causa da presença dessas substâncias, os chás ajudam a diminuir o risco de desenvolvimento de doenças crônicas", afirma.

Outra característica da erva é seu potencial estimulante. Elimina estados depressivos, deixa o cérebro em alerta e ajuda a espantar a fadiga. É perfeita para aqueles momentos de cansaço e desânimo, pois contém cafeína. Claro que, assim como outros alimentos que têm esse componente - como café, chocolate e refrigerantes tipo cola -, o mate também não pode ser ingerido em excesso. "Principalmente por quem
tem doenças cardíacas graves, porque pode causar arritmia, e pelas gestantes. No caso delas, a cafeína atravessa facilmente a barreira placentária, podendo interferir no crescimento e desenvolvimento do bebê", sublinha a Dra. Camila.

Se consumida moderadamente, entretanto, a bebida costuma provocar uma agradável sensação de bem-estar. Assim como todos os alimentos saudáveis, a erva-mate não faz milagres sozinha. "Um padrão alimentar habitual pobre em gordura saturada, colesterol e sódio, associado ao consumo de erva-mate, pode reduzir o risco de doenças. Os benefícios vêm se for adotada essa combinação", alerta a nutricionista.

O mate na culinária

Se você pensa que o mate só serve para fazer chá, é porque ainda não conhece a versatilidade da erva. Veja algumas receitas especiais que podem dar um toque diferente às suas refeições:

MATE COM FRUTAS VERMELHAS E MANJERICÃO

INGREDIENTES
3 colheres de sopa cheias de mate a granel
300 ml de água fervente
1 polpa de frutas vermelhas (100g)
2 folhas de manjericão

COMO PREPARAR
Coloque o mate em 300 ml de água bem quente, pouco antes de ferver, e coe.
Depois de esfriar, bata com os demais ingredientes no liqüidificador.
Guarde na geladeira e sirva bem gelado.


SORVETE DE ERVA-MATE

INGREDIENTES
1 litro de leite
1 ½ xícara de açúcar
1 colher de sopa de liga
1 colher de chá de gordura para sorvete
2 colheres de sopa de pó de erva-mate peneirada

COMO PREPARAR
Comece fervendo o leite. Misture o pó de erva-mate e quando estiver frio coloque no liqüidificador. Acrescentamos 1 ½ xícara ou 300 gramas de açúcar e a liga.

Bata por três minutos. Se preferir, acrescente três colheres de sopa de leite em pó ou leite condensado - mas, se usar o leite condensado, será preciso diminuir uma xícara de açúcar.

Coloque em uma travessa rasa e leve ao freezer. Deixe descansando por quatro horas, até congelar. Depois, corte em cubos e bata na batedeira. Em seguida, acrescente a gordura. Troque o garfo por um mais fino e continue batendo. Bata até ficar cremoso e volte a colocar no freezer até poder formar as bolas de sorvete.


BOLO DE IOGURTE COM MATE

INGREDIENTES
3 ovos
1 copo de iogurte natural
Três quartos de um copo (de iogurte) de óleo vegetal
3 colheres de sopa de chá mate solúvel
1 pacote de gelatina sabor limão
300 gramas de farinha de trigo peneirada
120 gramas de açúcar
1 colher de sopa de fermento químico em pó

COMO PREPARAR

Em uma vasilha, junte a farinha de trigo, a gelatina, o açúcar, o chá e o fermento em pó. Misture bem e reserve. No liqüidificador, coloque os ovos, o óleo vegetal, o iogurte e bata por cinco minutos. Coloque aos poucos o creme na vasilha de ingredientes secos e misture até formar uma massa homogênea. Ponha a massa em uma forma untada e leve ao forno pré-aquecido. Asse por cerca de 25 minutos ou até que o bolo esteja cozido.


Curiosidades:

- Em vários locais onde é consumido, o mate faz parte de uma arraigada tradição.
O autêntico mate é amargo e servido em um recipiente com um canudo de metal (bombilha), que de um lado possui buraquinhos para não deixar a água passar, e água bem quente - entre 85º e 95ºC. Quem não gosta muito do sabor "ardido" costuma adoçá-lo com açúcar, adoçante, açúcar queimado ou mel - especialmente
quem gosta de tomá-lo em forma de chá. Há quem misture a erva com leite, com água fria ou gelada ou com outros ingredientes, como canela, casca de laranja ou limão e até ervas medicinais.

- Na hora de tomar a bebida numa roda, acontece um pequeno ritual. As normas de cortesia requerem que o mate seja primeiro bebido por quem o preparou - chamado de cebador nos países da América Latina. O segundo gole é oferecido ao hóspede ou ao visitante de maior hierarquia, e os seguintes seguindo a roda até que todos tenham dito "gracias" (obrigado). Quem agradece quer dizer que não quer mais beber. Em uma mateada coletiva, não se pode adoçar o mate por contra própria, nem limpar, mexer ou assoprar a bombilha. Também não se pode deixar o mate pela metade. Ele deve ser tomado até o canudo fazer aquele barulhinho que avisa que a bebida acabou.

- Há inúmeras superstições que envolvem o consumo coletivo do mate. Diz a lenda que quem bebe o mate da pessoa anterior sem devolvê-la ao cebador consegue descobrir os segredos da pessoa que lhe passou o mate. Também existe uma "linguagem" do mate - ou seja, expressões usada na roda de bebedores. "Mate trancado" significa que a bombilha está entupida; "mate cansado" é quando a erva já perdeu o sabor; "cebar pelando" é preparar o mate quando a água está quente demais"; "tatusear el mate" é mexer ou trocar a erva para que volte a ter sabor; "encimar" o mate significa acelerar seu preparo.

- No Rio Grande do Sul, onde é hábito tomar chimarrão, é inadmissível reclamar da temperatura do mate; deixar de bebê-lo até o fim; reclamar que o fato de que o hábito de beber em grupo é anti-higiênico; alterar a ordem de passagem do mate pela roda; favorecer alguém no grupo (mesmo que seja uma mulher bonita) e mexer no canudo (mesmo que ele esteja entupido). Ali, o único que manda é o preparador.

- Para se receber ou entregar a cuia de mate, deve-se sempre usar a mão direita.
Se a mão direita estiver ocupada, a pessoa deverá dizer:
- Desculpe a mão!
Ao que o outro responde:
- É a mesma, a do coração.

- Numa roda de mate, não se toma apenas um golinho e passa o mate adiante. É preciso tomar tudo, até o canudo chiar. Se isso não é feito, é considerado uma desfeita.

Anna Mocellin

sábado, 9 de agosto de 2008

Dicas da Terapia Ortomolecular

A Medicina Ortomolecular visa a normalização do equilíbrio químico do organismo através de substâncias naturais ao próprio organismo, como as Vitaminas, Minerais e Aminoácidos e “esse equilíbrio é mantido principalmente pela destruição dos Radicais Livres”.



O termo Ortomolecular foi introduzido por Linus Pauling (1901-1994), prêmio Nobel por 2 vêzes (Química em 1954 e da Paz em 1962) na revista Science (160:265-271,1968), propondo que distúrbios mentais poderiam ser tratados pela correção de desequilíbrios ou deficiências de constituintes cerebrais tais como vitaminas e outros micronutrientes, como uma alternativa a administração de drogas psicoativas sintéticas. Linus Pauling é considerado o pai da Biologia Molecular.

Em 1930 passou a estudar as vitaminas, defendendo o uso destas como a base bioquímica das reações celulares em todo o organismo.

Em 1945, com a monografia sôbre alteração da molécula de hemoglobina na anemia falciforme, primeira doença molecular, dá início a Medicina Molecular.

Dentre as doenças moleculares podemos citar a Fenilcetonúria, cujo tratamento consiste na retirada do aminoácido Fenilalanina e na Galactosemia que consiste na retirada do leite.

Em 1960 passou a desenvolver a Bioquímica da Nutrição.

Em 1970 extendeu o conceito Ortomolecular a medicina em geral, como sendo moléculas certas em concentrações certas, caracterizando uma abordagem de prevenção e tratamento de doenças e, alcançar a saúde baseada em ações fisiológicas e enzimáticas de nutrientes específicos, como vitaminas, minerais e aminoácidos presentes no organismo.

Retardar o envelhecimento, combater a obesidade e aliviar o estresse. Estas são algumas das muitas promessas feitas pela Medicina Ortomolecular, prática reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina desde 1998, através da resolução nº 1500/1998.

A Medicina Ortomolecular propõe cuidar do equilíbrio das células através da reposição ou eliminação de substancias. O tratamento é feito a partir de três etapas: a primeira é identificar o desequilíbrio, a segunda é desintoxicar o organismo do paciente com a mudança de hábitos e a terceira etapa é a reposição ou eliminação das substancias necessárias para o equilíbrio da célula.

1. DIFICULDADE DE PERDER PESO.
O QUE ESTÁ FALTANDO: ácidos graxos essenciais e vitamina A.
ONDE OBTER: semente de linhaça, cenoura e salmão...

2. RETENÇÃO DE LÍQUIDOS.
O QUE ESTÁ FALTANDO : na verdade um desequilíbrio entre o potássio, fósforo e sódio.
ONDE OBTER : água de coco, azeitona, pêssego, ameixa, figo, amêndoa, nozes, acelga, coentro...

3. COMPULSÃO A DOCES.
O QUE ESTÁ FALTANDO: cromo
ONDE OBTER : cereais integrais, nozes, centeio, banana, espinafre, cenoura...

4. CÂIMBRA, DOR DE CABEÇA.
O QUE ESTÁ FALTANDO : potássio e magnésio.
ONDE OBTER : banana, cevada, milho, manga, pêssego, acerola, laranja.

5. DESCONFORTO INTESTINAL, GASES, INCHAÇO ABDOMINAL.
O QUE ESTÁ FALTANDO: lactobacilos vivos
ONDE OBTER : coalhada, iogurte, missô, yakult e similares.

6. MEMÓRIA RUIM.
O QUE ESTÁ FALTANDO : acetil colina, inositol.
ONDE OBTER : lecitina de soja,+ gema de ovo ...

7. HIPOTIREOIDISMO. (PROVOCA GANHO DE PESO SEM CAUSA APARENTE)
O QUE ESTÁ FALTANDO : iodo.
ONDE OBTER : algas marinhas, cenoura, óleo, pêra, abacaxi, peixes de água salgada e sal marinho.

8. CABELOS QUEBRADIÇOS E UNHAS FRACAS.
O QUE ESTÁ FALTANDO : colágeno.
ONDE OBTER : peixes, ovos, carnes magras, gelatina...

9. FRAQUEZA, INDISPOSIÇÃO, MAL ESTAR.
O QUE ESTÁ FALTANDO : vitaminas A, C, e E e ferro.
ONDE OBTER : verduras, frutas, carnes magras...

10. COLESTEROL E TRIGLICERÍDEOS ALTOS.
O QUE ESTÁ FALTANDO : Ômega 3 e 6
ONDE OBTER : sardinha, salmão, abacate, azeite de oliva.



Cozinhe a seu favor...
Na medicina ortomolecular, a forma de cozinhar e até os utensílios utilizados ajudam a preservar os nutrientes.
-Evite a ingestão excessiva de queijos e carnes gordas e frituras.
- A gordura acelera o processo de oxidação dos alimentos, opte pelo azeite de oliva extra virgem.
-Cozinhe os alimentos no vapor ou até 100ºC, pois muito calor também oxida os alimentos. -Evite utensílios
de alumínio; os resíduos desse metal são tóxicos e podem ficar nos alimentos.
-Preferir panelas de vidro ou antiaderentes.
-Em hipótese alguma aqueça os seus alimentos em embalagens e recipientes de plástico no microondas.



Saiba que:
- Tipo Sanguineo O não tolera grãos, leites e iogurtes, tampouco couves.
- Tipo Sanguineo A não tolera carne vermelha, feijão carioca e banana nanica.
- Tipo Sanguineo B não tolera frango, alfaces e amendoins, tampouco milho.
- Tipo Sanguineo AB não tolera carne de porco, lagosta e grão de bico.

***
Comparado ao meu tipo sanguíneo só faria uma pequena alteração: tiraria o frango e colocaria a carne vermelha kkkkkkk - Sou tipo A e se tem algo que não gosto é de frango, evito carne de porco, e rarissimas vezes como algum tipo de peixe, lagosta então, nem se fale, não gosto; e grão de bico já experimentei tbm mas não me adaptei muito ao sabor...

terça-feira, 1 de julho de 2008

Chá de Camomila



A camomila é uma planta de uso medicinal, cosmético, alimentar e em outras áreas. Tem os nomes científicos de Matricaria Recutita / M. chamomilla L proparte / Chamomilla recutita L Rauschert / Família compostas.

Os egípcios a usavam no tratamento da malária, devido a sua ação anti-inflamatória, é indicada para má digestão, cólica uterina, sedativa (infusão flores ou chá da flor de camomila); para queimaduras de sol (ajuda a refrescar a pele e evita o vermelhidão da pele), conjuntivite e olhos cansados (compressas com infusão do preparado das flores).

Para criança ajuda combater vermes. Como chá usado diáriamente diminui as dores musculares, tensão menstrual, stress e insônia, diarréia, inflamações das vias urinárias; misturado ao chá de hortelã com mel combate gripes e resfriados; banho com sachê de camomila é sedativo e restaurador de forças, e especial para hemorróidas.

Na forma de infusão é útil para o fígado, antialérgico, dores de reumatismos, nevralgias; ajuda a purificar o organismo e aliviar a irritação causada pela poluição. Age como sudorífico.

É a mais recente descoberta em relação ao chá de camomila e são boas novas para os diabéticos! Para além das sua propriedades calmantes (que são mais do que conhecidas e divulgadas), antioxidantes e cicatrizantes, sendo por tudo isto ministrado a pacientes em processo pós-operatório e tratamentos para gota e úlceras, surge agora uma novidade revolucionária no tratamento da diabetes.

Numa pesquisa levada a cabo, por cientistas japoneses e ingleses, que consistia na administração deste chá a ratos diabéticos, os resultados foram bastante positivos! E passo a citar:

“Os diabéticos que escolhem um chá de camomila como bebida podem estar prevenindo complicações. Segundo pesquisadores japoneses e ingleses o chá previne lesões oculares, renais e nervosas.… Na pesquisa realizada no Japão e Inglaterra os especialistas estudaram a acção do extracto seco das flores sobre ratos diabéticos. Os roedores que receberam a camomila apresentaram uma diminuição da glicose após 21 dias de tratamento.”

O tradicional chá de camomila é reconhecido como um relaxante e tranqüilizante natural, que ajuda a tratar problemas provocados por tensão nervosa, como insônia, dores de cabeça, tónico estimulante, cólicas abdominais, equilibra o fluxo menstrual. É também analgésico local (nevralgias, cefaleias, dores de ouvidos, dores reumatismais), e clareia cabelos castanhos.

segunda-feira, 30 de junho de 2008

O poder das plantas

O Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do Ministério da Saúde divulgou uma lista com 71 plantas que possuem propriedades de cura.



A medicina herbal chegou ao ocidente desde a época de Hipocrates, que recomendava um pequeno grupo de ervas medicinais ao lado de dietas para cada caso. Mais tarde, em Roma, Galeno usava, como os chineses, misturas herbais de várias fontes vegetais. Já no fim do século XIX muitos produtos farmacêuticos tinham sua base em plantas medicinais, como os opiáceos, a efedrina, a atropina, a quinina, os digitálicos, para o coração. Atualmente, uma grande maioria dos habitantes do planeta não pode comprar remédio de farmácia e recorre às ervas medicinais.

Camomila: As flores podem ser utilizadas para fazer uma deliciosa e calmante infusão, que ajuda a adormecer e facilita a digestão.

Erva-cidreira: As suas folhas podem ser utilizadas para fazer um chá reconstituinte e anti depressivo. Atenção: esta planta espalha abundantemente as suas sementes e pode ficar incontrolável.

Alecrim: Utilizado para fazer óleos emulsionados a quente para a artrite. As plantas novas devem ser protegidas com sacos durante o Inverno. Como chá, o alecrim tem um sabor um pouco amargo e é quente, ou seja, tem uma ação fortificante e aquecedora sobre todo o organismo, particularmente o aparelho digestivo, revigorando, aumentando a disposição e a energia, agindo como um anti-depressivo nos casos de esgotamento físico e mental.

Aloé: Absorve grande variedade de poluentes da atmosfera. É uma planta interior especialmente versátil, útil em primeiros socorros para queimaduras.

Rosmaninho: Utilizada em problemas como a falta de repouso, dificuldades no sono e desequilíbrios funcionais do abdómen superior. Em banhos pode ser usado em problemas de circulação.

Abacaxi: Pode ser utilizado em inflamações nas vias respiratórias, bronquite, azia e infecções na pele.

Abóbora: É usada na limpeza de pele. O sumo da polpa é benéfico para a prisão de ventre e as sementes para a febre e inflamações.

Alface: Pode ser utilizada em problemas de insónias, alguns problemas de coração como palpitações e tensão nervosa.

Alho: É aconselhado em situações de acne, infecções respiratórias (asma e bronquite), diabetes, doenças cardíacas.

Gengibre: É indicado em casos anorexia, colesterol, cólicas, inflamações da garganta, rouquidão e gripe.

Jasmim: É um calmante, rejuvenescedor e relaxante. É indicado para comichões na pele, dores de cabeça, depressões e contracção muscular.

Maracujá: Pode ser utilizado em situações de ansiedade, é um óptimo calmante, asma, fadiga, nervosismo e stress.

Morango: É cicatrizante e analgésico. Pode ser utilizado em casos de anemia, febre, dores de dentes e doenças do intestino.

Tomate: É um antioxidante e anti-inflamatorio. Cicatrizante em queimaduras, auxiliar no tratamento para redução de colesterol.

Trigo: É um antioxidante, calmante, nutritivo, reconstituinte, vitamínico. É aconselhado em infecções na pele, anemia, falta de nutrição, doenças cardíacas, hipotensão, intestino preso.

O site Plantas que Curam apresenta relação de plantas descritas nos aspectos botânico, agronômico e principalmente medicinal, com fotos e receitas caseiras. Vale a pena conferir!

Propriedades Medicinais do Alecrim



Histórico
O nome Rosmarinus do latim significa "orvalho que vem do mar", justificado pelas flores azuladas que inundam as praias do Mediterrâneo, lembrando o orvalho. Além de ser símbolo de fidelidade entre namorados, era usado na Era Medieval para purificar os quartos de doentes. Pela reputação de estimular a memória, conta-se que estudantes gregos usavam ramos de Alecrim nos cabelos, quando submetidos a exames.

Nome científico: Rosmarinus Officinalis
Outros nomes:
alecrim-de-jardim e alecrim-rosmarino
Outros idiomas:
Francês - Romarin
Italiano - Ramerino
Espanhol - Romero
Inglês - Rosemary
Alemão - Rosmarin
Latim - Roris marini

Planta aroma forte e agradável e com propriedades estimulantes, o alecrim pertence à família das labiadas e é originário da região do Mediterrâneo, Canárias e Madeira.

O alecrim é uma planta cercada de misticismo. Entre os povos grego e romano era tida como uma erva sagrada. Usada como incenso ou carregada como amuleto para atrair bons fluídos, principalmente em casamentos, e afastar mau-olhado, quebranto e inveja. Na Idade Média, era usada como defumador e fumigantes em dormitórios com pessoas enfermas. Também os egípcios usavam o alecrim em seus ritos, visto que os túmulos têm vestígios da planta.

A busca da cura da alma, através do alecrim, também revelou aos povos antigos o caminho para a cura do corpo físico. A versatilidade terapêutica da planta demonstrada nas propriedades analgésica, anti-depressiva, anti-reumática, anti-séptica, anti-espasmódica e adstringente, entre outras.

Características da Planta 
O alecrim é um arbusto com altura média de 1 metro, muito ramificado, sempre verde, com hastes lenhosas, folhas pequenas e finas em forma de agulha, opostas, lanceoladas. A parte inferior das folhas é de cor verde-acinzentada, enquanto a superior é quase prateada. As flores reúnem-se em espiguilhas terminais e são de cor azul ou esbranquiçada. O fruto é um aquênio¹.

Perene (seca no inverno e rebrota no verão), o alecrim é a planta preferida das abelhas e floresce praticamente o ano todo, geralmente em encostas rochosas e ensolaradas ou ainda em solos seco e arenosos. Não necessita de cuidados especiais nos jardins.

Para Plantar:
Cresce bem em ambientes muito ensolarados, e o solo relativamente pobre em vez de prejudicá-lo, deixa a planta mais densa e com perfume acentuado. Por isso, você pode plantar sua mudinha em vasinhos com 20 cm de diâmetro, usando terra comum de jardim. Para obter novas mudas, é só lascar um galho e plantar em solo úmido.

Uso na culinária
De sabor fresco e doce, o alecrim confere aroma delicioso a vários pratos, principalmente em carnes (em especial de porco e carneiro) e aves em geral, entrando, também, na composição de molhos, omeletes, sopas e cozidos. Dá, também, sabor especial a batatas e manteigas. No churrasco, espalhe suas folhas sobre as brasas para perfumar a carne.

Os italianos não abrem mão dessa erva, muito apreciada para dar sabor ao carneiro, ao cabrito e ao vitelo. Aves assadas, envoltas em ramos de alecrim, são muito também são muito populares. Na Toscana, na Páscoa, consome-se o Pane di Rosmarino, feito de massa branca, levemente adocicada, acrescida de uvas passas, molho de azeite e alecrim, com cobertura de açúcar. Na Provence, sul da França, é usado ainda para o tempero de peixes. É, aliás, uma das três ervas básicas da região. As outras são o tomilho e a segurelha. Faz, também, parte do famoso Herbes de Provence (tempero francês com várias ervas).

O alecrim não perde seu sabor no cozimento, como a maioria das outras ervas. Tanto o ramo quanto suas folhas longas podem ser adicionadas às comidas. Sempre devem ser retiradas do prato antes deste ser servido. Misturado em pequenas quantidades às massas caseiras de pão, o alecrim fresco dá um gosto saboroso e exótico a massa, e deixa o pão digestivo e energético.

Excelente para aromatizar vinagres e azeites. o alecrim é, também, muito utilizado na decoração de pratos.

Vinho com alecrim: Coloque alguns galhinhos de alecrim fresco em um bom vinho tinto e deixe macerar durante 21 dias bem fechado com parafina na rolha. Guarde em lugar escuro, deitado. Quando passar esse tempo, coe e acrescente mel puro à gosto (o mel é opcional). Sirva pequenos cálices antes do jantar. Além de ser ótimo para a digestão, ajuda a clarear as idéias para um novo dia de trabalho.

Forma de venda: Pode ser encontrado fresco ou desidratado (seco). As folhas frescas possuem aroma mais puro, sendo preferidas. O alecrim desidratado tem um sabor mais concentrado, portanto é recomendável usar uma quantidade menor.

Como escolher e onde encontrar
Fresco: maços e vasinhos de alecrim fresco são encontrados em feiras, mercados e supermercados. Escolha os ramos com as folhas mais viçosas e que não estejam manchadas nem murchas.
Seco: encontrado em supermercados e empórios. Verifique o prazo de validade.

Uso caseiro: Inseticida natural, plantado na horta protege as outras plantas. Ramos de alecrim frescos, colocados entre as roupas defendem-nas de ataque de traças.

Propriedades medicinais: adstringente, analgésica, antiasmática, antidepressiva, antidiabética, antiespasmódica, antigripal, anti-hipertensora, antiinflamatória, antioxidante, anti-reumática, anti-séptica, aperiente, aromática, balsâmica, béquica, calmante, cardiotônica, carminativa, cicatrizante (o pó das folhas), colagoga, depurativa, digestiva, emenagoga, estimulante, estimulante da fecundidade feminina, estomáquica, eupéptica, excitante, narcótica, vasodilatadora, vulnerária, tônica, sudorífica, vasodilatadora, estomacal, febrífuga, tônica do sistema nervoso central, tonificante do útero.

Indicações: afecção (fígado, estomago, intestinos, rins), afecções cefálicas, asma, astenia, bronquite, calvície, cansaço físico e mental, caspa, celulite, cicatrização de feridas, circulação da pele, clorose, colesterol, contusão, convalescença, coqueluche, coração, debilidade cardíaca, depressão ligeira, dermatites seborréicas, dispepsia, dor, dor de cabeça, dor reumática, dor muscular, edemas, entorse, enxaqueca, escrófulas, esgotamento, espasmo, feridas, fraqueza, frigidez, gota, gás intestinal, gastralgia, gripe, hemorróida, hidropsia, histeria, impotência, inapetência, inchaço dos olhos, indigestão, insônia, isquemia, nervosismo, nevralgias, odontalgia, paralisias, pele desvitalizada, poliuria, problemas respiratórios, pulmões, queda do cabelo, reumatismo, rins, rugas, torcicolo, tosse, úlceras, vertigem, vesícula.

Parte utilizada: folhas, flores, óleo essencial.

Chá de Alecrim
Para cada xícara de água fervendo, utilize 4 gramas de folhas de alecrim.
Toma-se depois das refeições. As folhas do Alecrim são recomendadas no estímulo à circulação. Também auxiliam na digestão de gorduras e no combate à dor de cabeça associada com tensão nervosa.

O chá do alecrim tem várias finalidades, tratar o colesterol, as dores de dentes ou enxaquecas, as doenças de coração ou mesmo nos casos de celulite.Indicado para stress físico e mental, depressão, gota, reumatismo, facilita a digestão.

Prescrição
Recomendo este chá no intervalo das refeições. Na totalidade, pode beber-se meio litro, diariamente.

Virtudes
Este chá favorece a micro circulação, oxigenação cerebral, estimulando a memória e a criatividade. Alivia dores e espasmos. Fomenta a diurese, contribuindo para a redução de edemas e de celulite. Também pode regular o fluxo menstrual, quando é escasso. Para se obter melhores resultados, utiliza-se no tratamento interno e externo, simultaneamente.

Uso Medicinal:
O alecrim é uma planta que ama o calor e a vida. Ele aquece e estimula o cérebro e o corpo. É ótimo como cardiotônico e ajuda a diminuir os níveis de colesterol no sangue; atua como estimulante, anti-reumático, resolve rapidamente dores de estômago e azias e restitui a energia dos cansados e estressados por muito esforço mental. Por sua qualidade penetrante, é muito eficiente no tratamento de problemas respiratórios, desde o simples resfriado, catarro, sinusite até casos de asma (a inalação é o uso mais indicado). Usado externamente, por sua poderosa ação anti-séptica, é excelente para limpar feridas, principalmente de diabéticos e pessoas que tem dificuldades de cicatrização.
*Combate a diabetes e tem propriedades anti-reumáticas.
*Também ativa as funções do pâncreas e estimula a circulação.
*Alguns dizem que tomado quente acalma a tosse.
*Externamente, serve para desinfetar feridas e ajudar na cicatrização.
*Bom para os rins e vesícula e equilíbrio da pressão arterial, auxiliando a boa circulação; auxilia nos estados de depressão, dores reumáticas, digestão, facilita menstruação, combate gota, icterícia é anti-séptico, sedativo, fortalece a memória. Bochechos de infusão são recomendados para aliviar aftas, estomatites e gengivites.
*Para reumatismo, eczemas e contusões: folhas cozidas no vinho usadas externamente.
*Anti-séptico bucal: infusão comum.
*Para sarna: infusão bem forte aplicada externamente.
*Cicatrizante de feridas e tumores: folhas secas reduzidas a pó ou suco.
*Como medicação, só se utilizam folhas de alecrim.
*Galhos floridos secando num vaso na casa estimula a memória.
*Compressas com chá forte de alecrim são ótimas para celulite.

O Alecrim aquece e estimula o cérebro e o corpo, é ótimo como cardiotônico, estimulante, anti-reumático, resolve rapidamente dores de estômago e asias, restitui a energia dos cansados e estressados por muito esforço mental. Também é bom para tosses, bronquites, e problemas respiratórios.

Usado externamente é bom para limpar feridas, principalmente de diabéticos e pessoas que tem dificuldades de cicatrização.

Excelente para refrescar músculos e pés cansados. Pode ajudar no combate à caspa e queda de cabelo. É útil para pele flácida, pois o alecrim é um ótimo adstringente. Pode ajudar a combater resfriados, asma, gripe. Um óleo popular em aromaterpia. É estimulante da memória, fortalece e clareia a mente quando há esgotamento.

Mistura-se bem com óleo de: lavanda, lavandim, citronela, tomilho, basilicão, menta piperita, petigrain, canela.
O alecrim é usado pela medicina Antroposófica como uma planta calorífica que ativa o sangue sendo indicada para a anemia, menstruação insuficiente, e contribuindo, também, para assimilação do açúcar (nos diabéticos) e para refazer o sistema nervoso depois de uma atividade intelectual.

Efeitos colaterais: Contra indicado para mulheres grávidas e portadores de epilepsia.

Efeitos Energéticos

Diz-se que o alecrim é um "Costurador do Plexo Solar". Ele restitui rapidamente a energia perdida, dá mais estrutura de trabalho aos que lidam muito com o mental racional, é uma das ervas que ajuda na depressão e estados permanentes de cansaço por problemas emocionais. Ajuda, também, muito as crianças com uma estrutura emocional passiva, as que não respondem de forma concreta às agressões da vida. Aumenta a capacidade de aprendizado. É a planta chave da falta de auto estima. Atua nos desconfiados, nos que não acreditam em si mesmos, nos que não têm coragem de se lançar em novos projetos. É a erva da coragem.

Uso Cosmético

Vinagre de alecrim ou chá bem forte no cabelo depois de lavado estimula a saúde dos folículos capilares e evita a calvície (escurece os cabelos também, então não é indicado para loiros). Na pele, restabelece o ph natural (é ligeiramente adstringente). O óleo de alecrim é bom para passar no corpo após o banho.

Ingredientes para Vinagre com Alecrim:
2 ramos de alecrim fresco
1litro de vinagre de vinho rosé
Coloque o alecrim na garrafa e acrescente o vinagre.
Tampe e deixe descansar por 2 dias, antes de iniciar o seu uso.
Guarde em temperatura ambiente.

Tônico facial de alecrim: 1½ xícara de água, 1 maço de alecrim, ½ dose de conhaque. Ferva o alecrim na mistura de água e conhaque por 15 minutos. Filtre e conserve em vidro escuro.

Para pele precocemente envelhecida: deixe 50gr de alecrim em infusão em 1 litro de água fervendo por 10 minutos. Coe, coloque em garrafa previamente esterilizada e use para fazer compressa no rosto após a limpeza. Conserve na geladeira.

As tradicionais águas de alecrim têm demonstrado a sua eficácia ao longo dos séculos. Conta-se que na Antiguidade Clássica era de bom-tom rainhas e princesas aprenderem a prepará-las, por ser considerada uma arte nobre.

Uso Externo
Este chá aplica-se diretamente no tecido cutâneo ou em compressas. Para suavizar e tonificar a pele, aplica-se com a nossa própria mão, pressionando para facilitar a sua absorção. Para aliviar dores, reduzir edemas e celulite, a prática de compressas revela-se mais eficaz. A sua aplicação continuada, durante 5 dias consecutivos, vai imprimindo a peculiar fragrância do alecrim e a sua acção salutar vai-se manifestando numa melhor tonicidade, suavidade e noutros sinais de rejuvenescimento.

O Alecrim parece ter a particularidade de "sintonizar" o nosso sistema imunológico, adequando as resposta às "solicitações" do organismo, pelo que tem excelentes resultados nas doenças auto-imunes.

Nota: para tornar o chá de Alecrim menos desagradável pode-se juntar, sempre, um pouco de erva doce… O chá com estas duas plantas é ótimo também para combater o mau hálito, mas não aconselhável a hipertensos…

Fontes: Wikipédia
Enciclopédia Britânica
Herbário Aleph

O significado das cores dos alimentos


As cores dos alimentos são determinadas pela presença dos pigmentos. Estas substâncias, além de colorir desempenham, frequentemente, papéis importantes na prevenção e na proteção do organismo contra doenças infecciosas.

 
Uma dieta colorida tem mais chances de ser mais saudável.


A cor dos alimentos pode ser uma ótima pista para selecionar ingredientes com boas doses de proteínas, carboidratos, fibras, vitaminas e minerais dentre outros elementos nutritivos. Determinados alimentos da mesma cor têm, em sua maioria, princípios nutritivos ou componentes bioativos semelhantes. Por isso mesmo é tão importante manter a diversidade de colorações na alimentação, quanto mais colorido o prato, mais compostos químicos, pigmentos e composições de fibra alimentar serão fornecidos ao organismo.

O que muitas pessoas não sabem é que as cores dos alimentos também estão relacionadas às suas propriedades de aumentar-lhes o ânimo. Isso ocorre porque os alimentos coloridos apresentam substâncias que aumentam a energia e a disposição. Essas substâncias são conhecidas como flavonóides, uma família de polifenóis, regularmente utilizados na dieta humana pelo consumo de frutas e vegetais.

Para uma alimentação equilibrada, é necessário o consumo de fontes de carboidrato (pães, arroz, batata, farináceos, etc.), proteína (carnes, ovos, leite e derivados e algumas leguminosas como a soja) e as vitaminas e minerais presentes nas frutas e hortaliças.

Alimentos brancos
A cor branca é dada pelo pigmento flavina. A presença dessa substância indica alimentos ricos em minerais, carboidratos, vitamina B6 e outros nutrientes. Tudo isso favorece a renovação celular e protege o sistema imunológico, melhorando as defesas orgânicas. Também contribuem na formação e manutenção dos ossos, auxiliam na regulação dos batimentos cardíacos e são fundamentais para funcionamento do sistema nervoso e dos músculos.

Os legumes e vegetais brancos costumam ter cálcio e fósforo, sendo que esses minerais essenciais ajudam na formação e manutenção dos dentes e na elasticidade dos músculos. Pertencem a este grupo: leite, queijo, couve-flor, batata, arroz, cogumelo, banana, algas marinhas, alho, cebola, chuchu, feijão branco, maçã, mandioca, nabo, palmito, pêra, pinha e rabanete.

Alimentos vermelhos
O vermelho é conseqüência da presença de licopeno, pigmento com ação semelhante ao betacaroteno. Normalmente aparece associado à vitamina C, formando uma dupla com efeito antioxidante que, entre outros benefícios, colabora na prevenção do câncer e do stress.

Em estudos recentes, alimentos vermelhos foram apontados como um protetor eficaz contra o aparecimento de câncer de próstata e por conter a substância antocianina, estimulam a circulação sangüínea. Pertencem a este grupo, morango, tomate, melancia, caqui, goiaba vermelha, beterraba, cereja, framboesa, nectarina, pimentão, pitanga e romã.

Alimentos amarelos
O tom amarelo ou alaranjado provem do betacaroteno, ou pró-vitamina A, da vitamina B3 e do ácido clorogênico. É um pigmento fundamental para a manutenção dos tecidos e dos cabelos, mantêm o sistema nervoso saudável e ajudam a prevenir o câncer de mama, O betacaroteno também beneficia a visão noturna e atua no metabolismo das gorduras. Os alimentos amarelos são ricos em vitamina C, que participa da síntese de colágeno e tem ação antioxidante contra os radicais livres.

Pertencem a este grupo mamão, cenoura, manga, laranja, abóbora, pêssego, damasco, abacaxi, ameixa, caju, carambola, damasco, cenoura, laranja, limão-cravo, maracujá, melão, milho, nêspera, pêssego, pimentão amarelo e tangerina.

Alimentos arroxeados
Alimentos nas tonalidades roxa, preta ou azulada contêm antocianina, um tipo de pigmento ligado à presença da vitamina B1. E é justamente a vitamina B1 o elemento essencial para a transformação dos carboidratos e outros nutrientes em energia. A falta de vitamina B1 pode levar à perda de apetite, redução do peso e até à anorexia(um desvio de comportamento alimentar que pode até mesmo levar à morte).

Pertencem a este grupo a uva, a ameixa, o figo, a alcachofra, a beterraba, a berinjela, o feijão-perto, a jabuticaba e o repolho-roxo contêm ácido elágico, substância que retarda o envelhecimento e neutraliza as substâncias cancerígenas prevenindo diversos tipos de câncer.

Alimentos verdes
O pigmento que define a cor deste grupo de alimentos é a clorofila, considerada um potente energético celular. Também têm substâncias cálcio, vitamina C e A. Apresentam como efeitos terapêuticos a desintoxicação das células, a inibição dos radicais livres (que danificam as células e causam doenças), tem propriedades anticancerígenas, auxiliam na proteção do coração, protegem o cabelo e a pele, melhoram o sistema imunológico e são importantes para os ossos e contração muscular.

Pertencem a este grupo os alimentos verdes como os vegetais folhosos, tais como o abacate, abobrinha, acelga, alface, quiabo, repolho, salsa, agrião, pimentão verde, brócolis, chicória, vagem, couve, kiwi, ervilha, espinafre, limão, pepino, rúcula, escarola e manjericão.

Alimentos marrons
Ricos em fibras, e vitaminas do complexo B e vitamina E, os alimentos de cor marrom regulam o funcionamento do intestino, prevenindo problemas que vão desde a prisão de ventre até o câncer. Também ajudam a controlar o colesterol e o diabetes e melhoram a flora intestinal.

As sementes oleaginosas, incluídas neste grupo, são excelentes fontes do mineral selênio e de vitamina E. Elas têm efeito antioxidante, vasodilatador, anticoagulante e contra a fadiga.

Pertencem a este grupo amêndoas, amendoim, arroz integral, aveia integral, avelã, canela, castanha, centeio, cevada, grão-de-bico, feijão, lentilha, nozes, pão integral, pinhão, soja, tamarindo e trigo.

Uma banana por dia dispensa o médico




As bananas constituem o alimento básico de milhões de pessoas em vários países em vias de desenvolvimento. Em determinados países tropicais a banana verde (não madura) é largamente utilizada da mesma forma que as batatas em outros países, podendo ser fritas, cozidas, assadas, guisadas...

Símbolo dos países tropicais e muito conhecida no mundo todo, a banana, fruto da bananeira, é a fruta mais popular do Brasil. Embora não seja nativa do continente americano (é originária do Sul da Ásia e da Indonésia), adaptou-se muito bem ao nosso solo e clima e transformou-se num dos principais produtos de exportação do país.

A bananeira é uma planta de caule subterrâneo, que se desenvolve em sentido horizontal, e do qual surgem as folhas que crescem para fora da terra, formando o falso tronco. Apenas uma vez na sua vida, cada caule falso dá um ramo de flores, que, aos poucos vai, se transformando num cacho de bananas, formado por pencas que, ao todo, podem chegar a somar até duzentas bananas. Depois de ter produzido o cacho, outro pé começa a crescer do rizoma subterrâneo e dele nascerá o próximo cacho.

A banana é uma fruta de alto valor nutritivo, muito rica em açúcar e sais minerais, principalmente cálcio, fósforo e ferro, e vitaminas A, B1, B2 e C. Fácil de digerir, pode ser dada às crianças a partir dos 6 meses de idade. Como quase não tem gordura, é indicada nas dietas baixas em colesterol. Pode ser consumida ao natural, como sobremesa, ou ser usada nos mais variados tipos de prato: salada de frutas, bolos, tortas, vitaminas, sorvetes, mingaus, recheios de aves e carnes, farofas, musses e sanduíches.

A banana é a fruta mais consumida no Mundo e no Brasil, sendo um alimento energético, rico em carboidratos, sais minerais, como sódio, magnésio, fósforo e, especialmente, potássio. Apresenta predominância de vitamina A e C, contendo também as vitaminas B1, B2 e B6. contém pouca proteína e gordura.

A banana, além da série de produtos que podem ser confeccionados com o fruto, tem as folhas que podem servir para cobrir abrigos provisórios, ou como embalagens improvisadas, ser utilizada como ataduras de emergência, ou ainda, resultar em certo tipo de papel. O líquido acumulado entre as folhas e o caule, é utilizado para aliviar dores resultantes do ataque das aranhas, vespas, escorpiões e até de cobra.

A fruta pode também auxiliar no tratamento de certas enfermidades, tais como: tuberculose, paralisia, reumatismo, artrites, prisão de ventre, diarreia, desidratação, e, ainda, doenças de estômago, rins, fígado, intestinos e nervos, úlceras da pele, dermatites, queimaduras de sol, diarreia, feridas, fraqueza pulmonar, resfriados, tosse crônica, tosse de fumante, bronquite crônica.

Se deseja uma solução rápida para baixos níveis de energia, não há melhor lanche que a banana. Contendo 3 açúcares naturais: sacarose, frutose e glicose, Combinados com fibra, a banana dá uma instantânea e Substancial elevação da energia.

Pesquisas provam que apenas 2 bananas fornecem energia Suficiente para 90 minutos de exercícios extenuantes. Não é por acaso que a banana como energético, é a fruta nº 1 dos atletas bem sucedidos do mundo.

A banana também ajuda a curar ou prevenir um grande número De doenças e condições físicas, que a tornam obrigatória na sua Dieta diária.

Anemia: Contendo muito ferro, as bananas estimulam a produção de hemoglobina no sangue e ajudam nos casos de anemia.

Tensão arterial: Contém elevadíssimo teor de potássio mas, reduzido de sódio, tornando-a perfeita para combater a tensão alta. Tanto que a FDA (agência americana responsável pelo controle de alimentos e remédios) autorizaram as indústrias de bananas, a informar oficialmente a redução do risco de tensão alta e enfarte.

Capacidade Mental: 200 estudantes de uma escola em Twickenham (Middlesex) tiveram ajuda da banana (no café da manhã, lanche e almoço), para elevar sua capacidade mental. Pesquisa mostra que frutas com elevado teor de potássio ajudam alunos a aprender e a manter-se mais alerta.

Intestinos: Com elevado teor de fibra, incluir bananas na dieta pode ajudar a normalizar as funções intestinais, superando o problema, sem recorrer a laxantes.

Depressão: De acordo com recente pesquisa realizada pela MIND, entre pessoas que sofrem de depressão, muitas sentiram-se melhor após uma dieta rica em bananas. Isto porque a banana contém “trypotophan”, um tipo de proteína que o organismo converte em seratonina, reconhecida por relaxar, melhorar o humor e, de modo geral, aumentar a sensação de bem estar.

Ressaca: Uma das formas mais rápidas de curar uma ressaca é fazer uma vitamina de banana com leite e mel. A banana acalma o estômago e, com a ajuda do mel, eleva o baixo nível de açúcar, enquanto o leite suaviza e re-hidrata o sistema.

Azia: As bananas têm efeito antiácido natural. Se você sofre de azia, experimente comer uma banana para aliviar-se.

Enjôo Matinal: Comer uma banana entre as refeições ajuda a manter o nível de açúcar no sangue elevado e evita as náuseas.

Picadas de Mosquito: Antes de usar remédios, experimente esfregar a parte interna da casca da banana na região afetada. Muitas pessoas têm resultados excelentes em reduzir o inchaço e a irritação.

Nervos: As bananas contêm elevado teor de vitamina B, que ajuda a acalmar o sistema nervoso.

Excesso de Peso E estresse No trabalho Estudos do Instituto de Psicologia, na Áustria, mostram que a pressão no trabalho leva à excessiva ingestão de comidas, como chocolate e biscoitos. Examinando 5 mil pacientes em hospitais, pesquisadores concluíram que os mais obesos eram os que tinham trabalhos com maior pressão. O relatório concluiu que, para evitar a ansiedade por comida, precisa-se controlar os níveis de açúcar no sangue.

TPM: Esqueça as pílulas e coma banana. Ela contém vitamina B6, que regula os níveis de glicose no sangue, que afetam o humor.

Úlcera: Usada na dieta diária contra desordens intestinais, é a única fruta crua que pode ser comida sem desgaste em casos de úlcera crônica. Também neutraliza a acidez e reduz a irritação, protegendo as paredes do estômago.

Controle De Temperatura: Muitas culturas vêem a banana como fruta ‘refrescante’, que pode reduzir tanto a temperatura física como a emocional de mulheres grávidas. Na Tailândia, por exemplo, as grávidas comem bananas para os bebês nascerem com temperatura baixa.

Desordens afetivas ocasionais: A banana auxilia os que sofrem de DAO, porque contêm um incrementador natural do humor, o “trypotophan”.

Fumo: As bananas podem ajudar as pessoas que estão deixando de fumar, porque os seus elevados níveis de vitaminas C, A1, B6 e B12, além de potássio e magnésio, ajudam o corpo a se recuperar dos efeitos da retirada da nicotina.

Estresse: Potássio é um mineral vital, que ajuda a normalizar os batimentos cardíacos, levando oxigênio ao cérebro e regulando o equilíbrio de água no nosso corpo. Quando estressados, a taxa metabólica eleva-se, reduzindo os níveis de Potássio, que podem ser reequilibrados com a ajuda da banana.

Infarto: De acordo com pesquisa publicado no Jornal de Medicina de New England, comer bananas regularmente pode reduzir o risco de morte por infarto em até 40%!

Verrugas: Os naturalistas afirmam que se quiser eliminar verrugas, basta colocar a parte interna da casca de banana sobre elas e prendê-la com gaze ou fita cirúrgica.

Regulação Dos níveis de carboidratos: Comendo alimentos ricos em carboidratos, como bananas, a cada 2 horas, mantém-se estável o nível de açúcar.

Como vêem, a banana é um remédio natural contra muitos problemas. Comparada à maçã, tem:

• 4 vezes mais proteína,

• 2 vezes mais carboidratos,

• 3 vezes mais fósforo,

• 5 vezes mais vitamina A e ferro e

• 2 vezes mais outras vitaminas e sais minerais.

Também é rica em potássio e, como um todo, é um dos alimentos mais valiosos.

A inclusão da banana, rica em potássio, na dieta habitual dos adultos e idosos está sendo recomendada pelos especialistas, depois de estudos acentuarem a importância do mineral para a função muscular adequada, inclusive o coração.

domingo, 29 de junho de 2008

Dietas restritivas podem comprometer a saúde e beleza


Dietas restritivas não suprem as necessidades de vitaminas e minerais do organismo e comprometem a saúde e a beleza. Unhas quebradiças, queda de cabelo, mau humor e insônia são alguns dos indícios de que tem nutriente faltando no organismo. A dieta deficiente em alguma vitamina pode prejudicar também a disposição física e mental. Não só para a beleza, mas os nutrientes são importantes também para manter o pique do dia-a-dia.

Este cenário pode ser o resultado de uma dieta sem uma orientação correta e, mais importante, que não forneça ao corpo o necessário para sua manutenção. De nada adianta excesso de exercícios ou ingestão baixa de caloria para ficar bonita. O segredo é alimentação balanceada e, se necessário, a ingestão de polivitamínicos e poliminerais que contenham os micronutrientes necessários para estar sempre saudável e bonita.

Quando se fala em emagrecimento, não existe uma fórmula mágica que sirva para todos. Há muitos fatores que devem ser levados em conta quando se formula uma dieta: metabolismo, genética, hábitos alimentares e nível de condicionamento físico.

A dieta mais comumente indicada pelos nutricionistas, para quem procura perder peso de forma rápida, é a de 1200 calorias. “Esta dieta funciona bem para mulheres que estão sem fazer atividade física, ou que possuem metabolismo mais lento”, comenta Michelle de Simone, nutricionista da Equilibrium Consultoria em Nutrição.

Porém, trata-se de um tipo de dieta muito restritiva em calorias, e que dificilmente supre todas as necessidades de vitaminas e minerais – principalmente quando seguidas por longo período. Dificilmente todos os nutrientes conseguem estar presentes no cardápio de 1200 calorias, o que pode comprometer a saúde.

Bonita por dentro e por fora - O que acontece no organismo é que quando o corpo não tem quantidade consumida ou armazenada suficiente de vitaminas, minerais e mesmo de calorias, as atividades vitais são priorizadas. E assim, a beleza e a disposição acabam prejudicadas.

Por isso é aconselhável o acompanhamento de um suplemento com uma composição equilibrada de diferentes vitaminas e minerais para garantir este consumo. “Ao contrário do que se pensa, os polivitamínicos não engordam, não têm calorias e não abrem o apetite, sendo uma ótima forma de ficar bela e saudável”, reforça a nutricionista.

A combinação das vitaminas A, C e E é ótima para manter a pele rejuvenescida. Para quem também quer ter cabelos e unhas saudáveis, é bom ingerir vitamina B5. Por isso, é tão importante seguir uma dieta rica em legumes, verduras, frutas, carne magra, ovos, leite e derivados e cereais integrais. E, quando necessário, suplementar-se, uma vez que nem sempre a alimentação do dia-a-dia contém todas as vitaminas e minerais em doses certas para quem quer estar sempre bem.

“Uma alimentação balanceada e saudável é fundamental para manter a saúde e reduzir o risco de diversas doenças. Daí a importância de consumir mais alimentos ricos em vitaminas e minerais. Se isso não é possível, por conta da correria do dia-a-dia, a suplementação pode ser recomendada”, avalia Cláudio Santos, diretor médico da Wyeth Consumer Healthcare, fabricante do polivitamínico e polimineral Centrum.

Tudo sobre as vitaminas
Abaixo, algumas das funções das vitaminas, em que alimentos são encontradas e o que a falta delas pode causar.

VITAMINA A
Funções: visão, crescimento, desenvolvimento ósseo, desenvolvimento e manutenção do tecido epitelial (pele), imunidade, reprodução, anti-cancerígeno.

Fontes: óleo de fígado de peixe, fígado, rim, ovo, leite, óleo de dendê, cenoura, couve, espinafre, manteiga.

Deficiência: cegueira noturna, alterações cutâneas.

VITAMINA B1
Funções: respiração tecidual, metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas.

Fontes: carne de porco, gema de ovo, fígado, coração miúdos, presunto, nozes, levedo de cerveja, germe de trigo.

Deficiência: confusão mental, fraqueza muscular, instabilidade emocional, depressão, irritabilidade, perda de apetite, insuficiência cardíaca e manifestações nervosas.

VITAMINA B2
Funções: crescimento, formação das células vermelhas do sangue e atividade reguladora das enzimas da tireóide.

Fontes: leite, ovos, fígado, coração, músculo de boi e aves, hortaliças de folhas verdes, levedo de cerveja.

Deficiência: estomatite, lacrimejamento, queimação e coceira nos olhos, síndrome uro-genital.

VITAMINA B6
Funções: imunidade celular, liberação de glicogênio hepático e muscular, diurético.

Fontes: fígado, carnes, gema de ovo, cereais, pães integrais, banana, batata, frango, abacate.

Deficiência: anormalidades no sistema nervoso central, distúrbios mentais, convulsões e anemia.

VITAMINA B12
Funções: metabolismo celular, crescimento.

Fontes: fígado, coração, mariscos, ostras, gema de ovo, carnes, queijos, peixe, camarão, lagosta.

Deficiência: diminuição do crescimento, anemia e outros distúrbios sangüíneos, distúrbios no trato gastrointestinal.

VITAMINA C
Funções: produção e manutenção do colágeno (integridade celular), cicatrização, absorção do ferro.

Fontes: frutas cítricas, hortaliças de folhas verdes, pimentão, tomate, batata.

Deficiência: fragilidade capilar, hemorragia, escorbuto.

VITAMINA D
Funções: absorção, reabsorção de cálcio e fosfato.

Fontes: óleo de fígado de peixe, manteiga, fígado, gema de ovo, leite, salmão, atum e luz solar.

Deficiência: raquitismo e outros distúrbios ósseos.

VITAMINA E
Função: antioxidante.

Fontes: germe de trigo, óleo de milho, sementes de algodão, girassol e soja, vegetais de folhas verdes, gema de ovo.

Deficiência: fragilidade muscular, creatinúria, reabsorção fetal, atrofia testicular, anormalidades embrionárias, distrofia muscular.

Excesso: efeito anticoagulante.

VITAMINA K
Função: processo de coagulação sangüínea.

Fontes: vegetais de folhas verdes, fígado, leite, nabo, iogurte, gema de ovo.

Deficiência: hemorragia.

VITAMINA PP
Funções:componentes relacionados às enzimas respiratórias e vasodilatadoras.

Fontes: fígado, carnes, peixes, trigo integral, amendoim.

Deficiência: fraqueza muscular, anorexia, indigestão, estomatite, lesões dermatológicas, perturbações mentais.

ÁCIDO FÓLICO
Funções: divisão celular e transmissão de traços hereditários.

Fontes: espinafre, vegetais de folhas verdes, fígado, levedo de cerveja, cenoura, gema de ovo.

Deficiência: diminuição do crescimento, anemia, distúrbios sangüíneos e distúrbios no trato gastrointestinal.

ÁCIDO PANTOTÊNICO
Funções: essencial para a digestão de carboidratos, gorduras e proteínas.

Fontes: presente em todos os vegetais e animais. As melhores fontes são ovos, fígado e salmão.

Deficiência: dermatites, sensação de queimação, perda de apetite, náusea, indigestão, estresse.

Importante: Não se automedique!